SER DE ESQUERDA É DIFERENTE DE SER PAN-AFRICANISTA DE MANCHESTER

Resumindo em uma frase, pan-africanismo é uma proposição política que diz que pretos do mundo devem lutar unidos, porque são todos africanos.

Ele se divide em linhas, e 2 delas são: pan-africanismo nacionalista (ou linha de Bandung, ou nacionalismo negro) e pan-africanismo socialista (ou pan-africanismo de Manchester).

Eu sou uma pan-africanista nacionalista. Os pan-africanistas nacionalistas creem que os pretos devem lutar unidos enquanto povo com base nas experiências africanas de luta. Dentro do pan-africanismo nacionalista temos os garveistas, os afrocentrados, os rastafaris, a Nação do Islã….não significa que divergimos. São abordagens diferentes de luta. Exemplos de pan-africanistas nacionalistas são Aime Cesaire, Amy Garvey e Malcolm X.

Os pan-africanistas socialistas são aqueles que, ao longo da história, fizeram o que Abdias do Nascimento denunciou e combateu: a marxizaçao do pan-africanismo. Ou seja: quiseram fazer uma associação entre o pan-africanismo e a teoria marxista. Exemplos de pan-africanistas socialistas são: Samora Machel, Agostinho Neto e Nkrumah.

Enquanto a luta de descolonização africana tava comendo no centro, EUA e URSS estavam no chove não molha da Guerra Fria. Os pan-africanistas nacionalistas eram aqueles que diziam: “num vamo se meter que isso é briga de branco, a gente ainda é colônia e temos que resolver nossos próprios problemas”, enquanto os pan-africanistas socialistas estavam querendo, ao mesmo tempo, fazer a luta pela descolonização africana e apoiar a URSS.

No frigir dos ovos, o que aconteceu? Quando os brancos do bloco comunista viram que os pan-africanistas socialistas estavam querendo ficar independente demais, se aliaram ao bloco capitalista pra matar preto. Porque quando o assunto é matar preto, direita e esquerda são unha e carne. Dois exemplos: a participação da URSS na morte de Eduardo Mondlane (Moçambique) e o assassinato de Viriato da Cruz (Angola) pela China Maoísta.

Portanto, a divergência entre o pan-africanismo socialista e nacionalista não é só teórica. É também de atuação política.

Que existiram pan-africanistas de Manchester é óbvio! E é óbvio que eu vou aprender com eles. Mas eu não posso dizer sob nenhuma hipótese que o nacionalismo negro é uma invenção recente, que defende uma África mítica, o capitalismo, etc etc etc. Qual a pessoa preta que em sã consciência vai defender o capitalismo, minha gente? O que os nacionalistas defendem é independência econômica pro povo preto. Porque até hoje, pra gente ter um emprego, é um branco que assina.

Vamos fazer uma suposição? Digamos que dê um revertério no governo e o país implante um socialismo de estado. Quem garante que os pretos estarão no poder? Que será um estado matriarcal? Quem garante que os “lgbts” não serão perseguidos como fez Cuba? Quem garante que uma mídia estatal não continuará produzindo estereótipos racistas?

Vamos ser honestos: o foco da esquerda não é raça, é classe! Mas não é possível conceber que um país que viveu 400 anos de escravização RACIAL tenha como principal contradição a classe. São as raças que estruturam as classes e não o contrario. E é por isso que nosso lema é RAÇA PRIMEIRO.

O racismo é ANTERIOR ao capitalismo. O capitalismo é só a face econômica da supremacia branca. Mas o controle que os brancos fazem não é só da economia, mas controle militar, educacional, de informações…se cai o poder econômico, o que me garante que cairão os outros? É por isso que a gente fala de PODER NEGRO, BLACK POWER. Que não tem a ver com cabelo, mas com a conquista de poder econômico, militar, educacional, de informação…nós não controlamos nada.

Pergunto: quem ATUALMENTE, no mundo, faz luta pan-africanista socialista? Pensemos nos maiores movimentos pretos ativos na atualidade. SÓ TEM PAN-AFRICANISTA NACIONALISTA, meus amores. BLM, Unia, NOI, NBPP, Reaja. Em âmbito internacional, o pan-africanismo socialista tá morto! Vamos falar de todo mundo que rompeu com ele? Em termos teóricos, quem está escrevendo sobre pan-africanismo no mundo hoje são os nacionalistas! Asante, Mazama, Obenga, Sertima, Abuy Nfubea e a nossa rainha Winnie Mandela são o que?

Portanto, peço aos irmãozinhos da esquerda que sejam honestos. Quando vocês forem meter o pau nos nacionalistas contem que cês sabem tudo de URSS mas não sabem nada de África e que vocês usam o pan-africanismo de Manchester pra se justificar, mas que vocês colam mesmo é com a esquerda branca que matou muitos deles. Se vocês querem estar num partido cuja cúpula é toda branca mas que nem é racista porque tem um setor de negros, é com vcs. Mas citar Angela Davis e Samora Machel pra dizer que o comunismo nos contempla é o mesmo que citar Nossa Senhora da Aparecida pra dizer que a Igreja Católica é preta. ME POUPE. Cadê os milhões dos partidos de esquerda matando a fome do nosso povo?

Um último adendo pra ficar bem escuro: quando nós falamos de resgate dos valores africanos, um exemplo se da em relação à propriedade privada. Em África, a terra é um bem COLETIVO, e até hoje em muitos lugares, não existe propriedade privada da terra. Era assim também em Palmares. Marx chamou isso de comunismo. A isso Abdias chamou de Quilombismo. Cês acham que devemos usar que conceito, família? Quando Marx tava indo com o caju, Zumbi tava voltando com as castanhas. Quase 300 anos antes.

Ficou grande, mas num é de agora que eu tô com isso engasgado. Passar bem. África no centro.

——-

Na foto: Abuy Nfubea, grande líder pan-africanista na Espanha. Grande parceiro.abuy

Anúncios

4 comentários sobre “SER DE ESQUERDA É DIFERENTE DE SER PAN-AFRICANISTA DE MANCHESTER

  1. Tudo que você falou é verdade. Porém há um erro fundamental que é acreditar na estaticidade da ideologia de uma pessoa, movimento ou Partido, num “centralismo universal” das idéias, todas partes como um só. Toda luta além de ser contra o inimigo declarado é também uma luta interna dentro do próprio Movimento, uma luta de duas linhas, onde se predominar a ala de direita, a linha oportunista, revisionista todo o movimento da organização poderá está condenado ao fracasso. E foi isso que aconteceu com os soviéticos após a morte de Stalin e prisão de alguns quadros do Partido Soviético. Pelo Partido Soviético não ter uma estreita ligação com as Massas para que essas pudessem dar continuidade ao socialismo, permitiram o desvio da ideologia do Partido pelas lideranças posteriores (Krushchov,Brejnev etc), que instauraram a linha revisionista, imperialista, com a restauração silenciosa do capitalismo, Como a maioria dos Revolucionários da época deixavam ser guiados pela URSS (grande erro) acabaram se sujeitando as suas politicas reformistas e social-imperialistas. Mas isso passou em branco? Não. Os Chineses, liderados por Mao, travaram longos debates e condenaram tudo isso que você relata: A servilidade e o seguidismo, a defesa da democracia fajuta implantada por neocolonialistas defendida pelos soviéticos e ianques, o social-imperialismo soviético, às mudanças pela via parlamentar (estruturalizada pelos neo-colonistalistas). Hoje grande parte dos movimentos ditos de esquerda não passam de lacaios da governança, espantalhos da direita, são pacifistas defensores do parlamentarismo e democracia genocidas instaurados pelos neo-colonialistas, São organizações corruptas, demagogas, oportunistas e contra-revolucionárias. Grande parte é financiada por Empresas. São herança da degeneração comunista que iniciou no XX Congresso do Partido Soviético o qual pegaram carona, Fora isso houve uma grande ação da CIA para se infiltrar e construir “uma nova esquerda”. De fato são poucas as organizações de esquerda realmente revolucionárias, mas SIM, elas EXISTEM: Na Índia temos os Naxalitas que mantém uma guerra popular contra o Estado Indiano a 50 anos, eles tomam terras, distribuem para os camponeses e povos tribais, defendem as terras combatendo os agentes do Estado, ajudam a comunidade tribal com outros problemas etc.
    Nas Filipinas temos o Partido liderando o Novo Exército Popular que faz um trabalho semelhante aos naxalitas indianos. Na América latina temos o famoso “sendero luminoso” e nos EUA temos o NABPP-PC que é uma organização maoista de dentro dos presídios ianques. No Brasil recomendo que pesquise pela Liga dos Camponeses Pobres. Todos essas organizações que citei tem em comum que são MAOISTAS. O maoismo é a nova etapa do socialismo, Arma ideológica comprovada na prática pelos que seguem com a luta. Por isso dizemos que não há marxismo fora do maoismo. Toda organização marxista que renegue o maoismo é ideologicamente falha e na prática é pior ainda.

    Curtir

    1. Eu agradeço a explanação, é a aprendizagem de um outro ponto de vista. Mas sabe o que me importa?Me importa que foram os maoístas que mataram Viriato da Cruz. Minha luta é pelo meu povo, a partir dos pressupostos do meu povo. Se a China não conseguiu salvar a si própria, não vai salvar a África.

      Curtir

  2. Primeiro, sobre o erro na informação/avaliação da atualidade do pan-africanismo:

    The World-Wide Pan-Afrikan Convention 2016 is organized by Black Power Pan-Afrikanist revolutionaries from various organizations – like the Pan-Africanist Congress of Azania (PAC), New Black Panther Party (NBPP), Socialist Party of Azania (SOPA), Azanian People’s Organization (AZAPO), All African People’s Revolutionary Party (AAPRP), Black Lawyers for Justice (BLJ), and youth led revolutionary movements like the Blackwash Movement of Azania (BMA) among others – who are concerned about the current state and condition of the Black race and the struggles of Afrikan people the world over.

    This Convention will be a platform for Black Consciousness/Pan-Afrikanist revolutionaries, organizations, movements, structures, scholars and individuals from around the world to ground and discuss the current state, challenges and advancements relating to the Black race and our struggle against global white supremacy in the 21st century.

    The primary aim is to rally and unite the Black people of the world for united resistance against global white supremacy. The focus will be on establishing Black solidarity and crossing the (neo)colonial geo-political boundaries to build a world-wide Black revolutionary movement. Further, discussions will include practical solutions on how to destroy the system of white supremacy.

    We want to bring Black Power and Pan-Afrikanism back on the agenda

    World Wide Pan Afrikan Convention is to be held in Azania (South Africa),2016, June 13, 14,15, Combined with 40 year anniversary 1976 June 16 Soweto Youth Uprising Together with Black Power Million Youth March.

    WWPAC aims and guidelines of the convention here are the following:
    We aim to influence individuals in Africa and diaspora with and between their various Revolutionary movement to work for the good common and the advancement of African people at home and diaspora.
    To identify and mobilize all GENUINE AFRICAN PROGRESSIVE REVOLUTIONARY FORCES, PAN AFRICANIST MOVEMENT AND BLACK CONSCIOUS MOVEMENT with the aim of uniting and forming one giant World Wide Pan Africanist Revolutionary Movement and must UNITE, ADVANCE and DEFEND ALL AFRICANS?BLACKS AT HOME AND DIASPORA.
    To create ONE WORLD WIDE REVOLUTIONARY PROGRAM OF ACTION
    To promote ONE SOCIALIST AFRICA WITHOUT BORDERS.
    To inspire creation of a meaningful partnership with the aim to identify and create SELF RELIANCE programs and projects that must support our struggle/organization also must help to fight poverty: e.g self-funding projects, news paper, TV, website, musicians, writers, recording studios, photographers, designers and etc.
    To create one Pan Africaist Ideology College with the aim to stop political confusion and disunity among our organization and our people at large with its research and development department.

    Ver em http://panafricanconvention.org/about-wwpac/

    Segundo, tanto a UNIA histórica quanto a NOI atual tem bases em religiões monoteístas, qual seria a expressão atual do pan-africanismo “anti-marxista” (que vc chama de nacionalismo) fora da mobilização de tipo religiosa?

    Curtir

    1. Preto, o seu comentário não se opõe ao que eu escrevi, é mais um complemento. Eu me referi aos movimentos, não aos ENCONTROS ou CONGRESSOS. É complemento, não oposição.

      A categorização pan-africanismo socialista x pan-africanismo nacionalista não é minha, é internacional.

      A UNIA não pode ser considerada, sob nenhuma hipótese, uma organização religiosa. (E mesmo que fosse, isso é, em si, um problema?). Você tem a IV internacional garveísta, por exemplo. O que eu não consigo pensar é em pan-africanistas de manchester para além do MPLA, que está fazendo grandes merdas em Angola.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s